NOTA DE REPÚDIO

junho 7th, 2018 | by Sinprop

Levando em consideração aos transtornos sofridos pela população com relação a ausência de combustível e transporte público, recebemos com estranheza a informação emitida de forma unilateral, sem o devido diálogo típico da democracia, pela Secretaria de Educação do município do Paulista, no ofício n° 025/2018 cobrando dos professores da Rede um calendário de reposição de aulas, já que os mesmos não foram causadores de tais transtornos, pelo contrário ficaram impedidos de chegar aos seus locais de trabalho assim como toda a população. É importante salientar que tal cobrança fere os princípios da democracia, como citado por esta entidade sindical (SINPROP) no ofício n°118/2018 que cita que no parecer 019/2009 o próprio MEC deixa claro que a lei em referência (LDB) pode-se sofrer flexibilidade, em casos que foram resultados de casos fortuitos, não devendo os profissionais da Educação, nem os alunos e famílias sofrerem por aquilo que não deram causa. Ressaltamos ainda que o SINPROP reafirma o compromisso em defesa dos direitos dos professores da rede municipal do Paulista e tem nas suas atribuições exclusivas a função de colaborar para a solução de problemas relacionados com a categoria profissional que representa, os professores e com a comunidade escolar envolvida na finalidade de apoiar e assessorar no aprimoramento do sistema e observando a legalidade, legitimidade na exceção dos fatos administrativos.

Esperamos que o governo municipal, proceda de forma justa e democrática, revogando o ofício nº 025/2018 adotando o diálogo permanente sem postura impositiva e unilateral como fez quando acatou a suspensão das aulas no período da greve dos caminhoneiros.

GestãoForçaELuta!

Deixe uma resposta